Estratégias de Tite, por Equipe BWint

 

Em recente entrevista ao jornal Valor Econômico, o técnico da Seleção Brasileira, Tite, apresenta de maneira sutil diversos ensinamentos sobre Estratégia — legitimados por uma carreira de sucesso — que vão além dos campos e podem ser utilizados por empresas, executivos e profissionais. Destacamos quatro delas.

  1. Prioridade para as relações humanas. Após uma carreira de sucesso, Tite precisou se reinventar ao dirigir a Seleção. Isto porque não tem contato no dia-a-dia com os jogadores, que incluir visitar suas casas e conhecer a família. Para superar essa limitação, que pode influenciar negativamente as relações humanas, ele mantém contato direto com os técnicos dos clubes em que estão os jogadores e usa o Whattsapp. Assim, gerencia uma equipe de alto desempenho com uma alta cobrança, por conta dos salários milionários e a expectativa dos torcedores brasileiros. Qualquer problema psicológico pode afetar o desempenho individual e, consequentemente, do time. Nas empresas, uma das grandes diferenças entre um chefe e um líder está na proximidade com a equipe, mesmo nas equipes de alta performance (como a Seleção Brasileira).
  2. Segurança psicológica para os jogadores. Nas empresas, os líderes sabem que um dos momentos mais críticos para um integrante da equipe é o momento de tomar decisões importantes. Por isso, é importante garantir a estabilidade psicológica do time, como faz o Tite com os jogadores antes da partida. Ele estimula o contato dos jogadores com as família no momento de maior pressão que eles enfrentam, quando estão a caminho do jogo.
  3. Foco total. Um ambiente empresarial que privilegia os profissionais multitarefa pode comprometer a capacidade de concentração e a priorização dos objetivos realmente importantes. Foco significa abrir mão de atividades e objetivos secundários, como Tite faz em relação à Copa da Rússia deste ano: marca entrevistas na sede da CBF e, três meses antes do evento, não grava comerciais e só participa de entrevistas coletivas.
  4. Avaliar através de indicadores de resultados. Tite se sobressai como treinador por analisar racionalmente o futebol que, na cultura brasileira, é sinônimo de genialidade individual e improvisação. Muitos Ele privilegia o tempo de posse de posse de bola da equipe, que está diretamente ligado a passar a bola corretamente e, como consequência, controlar o jogo e evitar levar gol. É uma lição para profissionais e empresários que sobrevalorizam o lado intuitivo em detrimento de uma avaliação racional e científica, que passa necessariamente pelos indicadores.
  5. Novas metodologias de treinamento. O técnico da Seleção utiliza bastante o treinamento em campo reduzido, como forma de melhorar a compactação do time e desenvolver a habilidade de jogar com pouco espaço. Tite também emprega a filmagem aérea dos treinos para analisar a movimentação dos atletas. No primeiro caso, ele ilustra a importância da simulação em atividades de Treinamento e Desenvolvimento. Para melhorar habilidades e atitudes de lideranças e profissionais, muitas empresas empregam simulações de mesa e treinamentos outdoor, como faz a BWint – Business with Intelligence, usando o registro de imagens, como no caso do Tite, para analisar o desempenho nas tomadas de decisão (o que, para vários de nossos clientes, pode mostra a necessidade de outros serviços pós-treinamento, como Coaching e Mentoring). Simulações são importantes porque permitem isolar as variáveis que precisam ser trabalhadas, além de tirarem os participantes de sua zona de conforto e os estimularem a buscar soluções diferentes para os desafios.

A matéria só não menciona as influências de Tite em sua formação. Merece destaque o vitorioso treinador de basquete universitário americano John Wooden (1920-2010). Wooden, que também influenciou o técnico de vôlei Bernardinho, criou um sistema de desenvolvimento de atletas que influenciou diversas empresas e consultorias. É o caso da BWint, que tem consultores que são especialistas no trabalho do treinador para desenvolver metodologias inovadoras para os clientes.

http://www.valor.com.br/cultura/5324899/bola-esta-com-o-professor